PALAVRA COM SENTIDO

PALAVRA COM SENTIDO

… Quantas vezes deverei perdoar?…(Mateus 18, 21)

A centralidade da mensagem cristã está no amor incondicional a Deus e no amor ao próximo, como Jesus nos ensinou. Do amor nasce o dinamismo do perdão que, esquecendo as ofensas, acolhe com bondade, misericórdia, respeito e compaixão. Todos sabemos, pela nossa experiência de todos os dias, que perdoar não é tarefa fácil. Não é fácil abdicar das nossas razões, dos nossos sentimentos, da ‘nossa justiça’ para aceitar os outros, os ‘nossos inimigos’, os que nos ofendem, os que nos querem mal, os que nos humilham e perseguem… Muitas vezes, como Pedro, nos perguntámos: Quantas vezes deverei perdoar?.. A resposta de Jesus - da fé vivida e testemunhada, do amor sincero e transparente - diz-nos: Sempre!... Perdoa como Deus perdoa: isto é, sem limites, sem condições, só por amor… Perdoar do fundo do coração aproxima-nos de Deus, identifica-nos com Deus, eleva-nos a uma condição quase divina. Perdoar é próprio de pessoas que acreditam e amam; que enchem o coração de misericórdia; que reconhecem a grandeza do saber perdoar. Já pediste perdão, hoje?...

domingo, 30 de janeiro de 2011

FESTA DAS BEM-AVENTURANÇAS




O grupo do 7º. Ano, da nossa catequese, celebrou hoje a sua Festa das Bem-aventuranças. Nesta celebração quiseram, publicamente, manifestar o seu desejo de assumir, com inteira disponibilidade de coração e de vida, os ensinamentos fundamentais da proposta de Jesus.

Tendo descoberto que viver o espírito das Bem-aventuranças implica:
- uma mudança radical de vida;
- dedicar-se, em atitude de serviço e de generosidade, ao bem dos outros;
- abrir o coração aos valores evangélicos da humildade, da paz, da justiça;
- estar na vida esforçando-se por manter um coração puro;
- aceitar a fé como um desafio de entrega confiada ao amor de Deus;
- mostrar, nas obras, que é Jesus a Luz do nosso caminho…
prometeram fazer tudo para dar testemunho de Jesus, em todos os momentos da sua vida, remando contra a corrente do mundo que valoriza o ter e menospreza a interioridade e o ser.