PALAVRA COM SENTIDO

PALAVRA COM SENTIDO

“… Cristo morreu (…) para vos conduzir a Deus…” (cf. 1 Pedro 3, 18)

Começamos a viver, na Igreja, o Tempo da Quaresma: tempo de conversão, de adesão a Cristo, de renovação do compromisso de fidelidade à sua mensagem, de abertura do coração aos outros para os amarmos como Deus ama. Diante dos nossos olhos, como interpelação e meta, colocamos a Cruz do Senhor Jesus. Ela nos interpela a fazer caminho, com Jesus, na senda da aliança, da vida nova, da reconciliação, da purificação dos sentimentos, das palavras e das atitudes. Ela é a meta da nossa peregrinação interior, da nossa experiência de deserto, da nossa comunhão com a Paixão de Cristo e da nossa alegria pascal. Na cruz, nós encontramos o sinal da grandeza do amor do Pai que, em Cristo morto e ressuscitado, nos espera, nos acolhe e nos envolve no seu abraço de misericórdia e de perdão. Por Jesus, sabemos o caminho que nos conduz a Deus e, vencida a escravidão do pecado, encontrar-nos-emos na partilha e na felicidade de quem se fia do Evangelho. No jejum, na esmola e na oração, temperamos o nosso coração para os combates pela vida, pela verdade, pela transparência, por Deus.

domingo, 30 de janeiro de 2011

FESTA DAS BEM-AVENTURANÇAS




O grupo do 7º. Ano, da nossa catequese, celebrou hoje a sua Festa das Bem-aventuranças. Nesta celebração quiseram, publicamente, manifestar o seu desejo de assumir, com inteira disponibilidade de coração e de vida, os ensinamentos fundamentais da proposta de Jesus.

Tendo descoberto que viver o espírito das Bem-aventuranças implica:
- uma mudança radical de vida;
- dedicar-se, em atitude de serviço e de generosidade, ao bem dos outros;
- abrir o coração aos valores evangélicos da humildade, da paz, da justiça;
- estar na vida esforçando-se por manter um coração puro;
- aceitar a fé como um desafio de entrega confiada ao amor de Deus;
- mostrar, nas obras, que é Jesus a Luz do nosso caminho…
prometeram fazer tudo para dar testemunho de Jesus, em todos os momentos da sua vida, remando contra a corrente do mundo que valoriza o ter e menospreza a interioridade e o ser.